Sobre Regras

Todo o economista é um leigo, todo o leigo é economia

Receba-nos todos os dias por E-MAIL (inscreva-se aqui)

Visite o sítio clicando aqui: Economia e Finanças

Consulte as Regras de Uso do sítio após a apresentação que se segue

.

Viva!

O Economia e Finanças entra a 30 de setembro no seu 11º ano de existência. Procuraremos manter a utilidade e a fidelidade ao lema deste blogue.

Este espaço foi fundado em Setembro de 2006 por Rui Manuel Cerdeira Branco (linked in profile), economista, Português, sob o mote Todo o economista é um leigo e todo o leigo é economia. De então para cá foram vários os que contribuiram para ir construindo este espaço.

Para nos enviar um e-mail use a nossa caixa de contacto. Pode também usá-la para deixar o seu comentário, dúvida ou sugestão aqui, na nossa caixa de sugestões.

Uma última nota para esclarecer que as opiniões aqui transmitidas vinculam exclusivamente, a título pessoal, quem as publica e não todos os membros do blogue – salvo indicação adicional.

Participe, comente, envie contributos. Ah! E seja nosso fã no Facebook! Ou siga-nos no Twitter: http://twitter.com/EcoFinT

Receba-nos todos os dias por E-MAIL (inscreva-se aqui)

Conheça as nossas Regras de Uso deste sítio apresentadas nas linhas que se seguem.

 Actualizado em 21 de Setembro de 2017

 

Regras de utilização, advertências e considerações várias sobre este sítio e o respectivo meio de comunicação

Doravante, por ‘sítio’ entende-se o “Economia e Finanças”.

 

Conteúdo:

Este sítio tem uma componente informativa e procura que a informação transmitida seja fidedigna e, na medida do possível, actualizada. Contudo é possível que ocorram erros, omissões e outros problemas pelo que se recomenda aos leitores que procedam sempre à confirmação  da informação prestada. Os autores deste sítio comprometem-se a procurar garantir o máximo de qualidade mas não poderão ser responsabilizados por erros, omissões e outros problemas inadvertidamente apresentados. Os conteúdos presentes neste sítio não constituem um conselho ou sugestão, nem estabelecem qualquer relação contratual de responsabilização. Os responsáveis pelo sítio não respondem por quaisquer perdas ou danos, directos ou indirectos, sofridos por qualquer utilizador, relativamente à informação nele contida.

O conteúdo dos artigos é da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Quando não se trate de citações, os artigos assinados no corpo do texto são habitualmente provenientes de colaboradores não regulares ou leitores que submeteram propostas de colaboração e sobre o conteúdo das quais respondem ainda que sejam abrangidos pelas advertências aqui deixadas quanto ao uso do conteúdo do sítio. Os artigos aqui publicados responsabilizam apenas os seus autores não representando nem vinculando a opinião das instituições onde exerçam funções profissionais.

 

Navegação no sítio:

Os administradores procurarão garantir que a navegação neste sítio seja segura contudo não poderão ser responsabilizados por ataques informáticos nas mais variadas modalidades que possam ser feitos ao sítio, a aplicações externas nele utilizadas ou, a partir dele ou destas últimas, aos seus visitantes (incluindo potenciais tentativas de fraude), quando desencadeados de forma ilegítima por entidades alheias que usurpem o controlo e a administração do sítio. Recomenda-se aos leitores e visitantes todas as cautelas habituais que devem ser seguidas na utilização da internet.

Note que este sítio ou entidades terceiras que a ele têm acesso (nomeadamente anunciantes) podem utilizar cookies. Ao continuar a visitar este sítio está a concordar na utilização de cookies.

 

Dados pessoais:

O Economia e Finanças, em nenhum momento pedirá informação confidencial que não o nome e o e-mail para eventuais fins de subscrição da newsletter do sítio, contudo, é possível que algum cookie de entidade terceira recolha informação sobre a navegação ou sobre outros comportamentos do utilizador enquanto este navega pela internet após ter visitado o Economia e Finanças.

A subscrição da newsletter conduzirá ao envio regular de e-mail composto pelo conteúdo dos artigos publicados no sítio, podendo conter publicidade contextual nos moldes da apresentada no sítio e/ou no corpo do artigo se devidamente identificada. Os dados pessoais  indicados para efeitos de subscrição da newsletter estão protegidos nos termos da lei, não podendo, portanto, ser revelados ou utilizados de forma ilícita em práticas de marketing directo (envios específicos contendo apenas publicidade cujo conteúdo é inteiramente provido por entidade externa) a menos que seja expressamente pedida e concedida autorização pelos subscritores. A base de dados está registada junto da CNPD.

Evite divulgar inadvertidamente dados pessoais no corpo das caixas de comentários pois poderão ser visualizados por terceiros. Para contactos directos com o administrador do sítio utilize este formulário: http://economiafinancas.com/caixa-sugestoes/

 

Ligações externas:

Ligações a páginas de terceiros são fornecidas apenas por utilidade isentando-se este sítio de qualquer responsabilidade sobre o conteúdo dessas páginas.

 

Publicidade:

Este sítio contem referências publicitárias que procuram contribuir para a geração de receitas que ajudem a sustentar e motivar a manutenção deste sítio. Sempre que haja uma relação directa ou indirecta entre as citações feitas nos artigos escritos e a potencial geração de receitas em favor do sítio, existirá uma declaração de interesses no corpo do artigo e a referência às palavras “Publicidade” no título e/ou a classificação na categoria de “Patrocinado” do respectivo artigo.

Caso tenha subscrito o sítio por via do formulário que lhe garante acesso a conteúdos exclusivos e as melhores ofertas dos nossos parceiros comerciais, garantimos que os seus contactos nunca serão partilhados com terceiros.

 

Donativos:

O utilizador poderá efectuar donativos ao sítio através do serviço da Paypal aqui disponibilizado: donativos em favor de geral@economiafinancas.com . Tais donativos contribuem para sustentar e motivar a manutenção deste sítio e contribuirão para uma maior independência face à publicidade servida, ainda que seja objectivo permanente do corpo editorial assegurar a credibilidade e independência da informação e opiniões veiculadas. As doações não conferem contudo quaisquer direitos especiais aos doadores sobre o conteúdo e critério editorial do sítio.

 

Utilização do conteúdo por terceiros:

Toda a informação disponibilizada nesta página pode ser livremente utilizada, desde que se faça menção da respectiva fonte (com hiperlink para o conteúdo citado) e nos termos da licença http://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.5/pt/

Qualquer situação de exploração ou abuso não autorizado de informação confidencial poderá conduzir à ativação das proteções legais e sanções legais habituais. Não nos podemos responsabilizar pelo uso abusivo de informação obtida junto deste sítio de forma não autorizada.

 

Contacto:

http://economiafinancas.com/caixa-sugestoes/

ou para o e-mail

geral[arroba]economiafinancas.com

 

Lei aplicável:

Aplica-se a lei portuguesa.

RECEBA O ‘ECONOMIA E FINANÇAS’ POR EMAIL. CLIQUE AQUI.

6 thoughts on “Sobre Regras

  1. Pingback: Direito & Economia – Leitura a não perder
  2. O grande inimigo dos conceitos indissociáveis de Economia e de Politica, porque os subvertem, é a legalização do fenómeno predatório ou roubo legalizado da especulação financeira,nas suas mais diversas e perversas manifestações dos mais diversos e perversos, designados por títulos de crédito, potenciados por uma flexibilidade de valores possíveis, de natureza criminosamente predadora.

  3. Os conceitos de Economia e de Política, como ciências sociais fundamentais que são, indissociáveis e integradas, pressupõem, sempre e necessariamente, a existência de uma comunidade humana, e, entre todas elas, designadamente, as comunidades nacionais. À Economia de qualquer comunidade nacional compete promover a satisfação das necessidades de todas as pessoas dessa comunidade, sem excluir quem quer que seja, bem como a obtenção dos meios adequados a essa satisfação, pelo trabalho socialmente solidário de todas as pessoas capacitadas para esse efeito. Significa isso, que a Economia de qualquer comunidade nacional é representativa de todos os direitos e de todas as obrigações individuais e sociais de todas as pessoas dessa comunidade, na medida das necessidades e capacidades específicas de cada uma. É, precisamente, para garantir, plenamente, esses direitos essas obrigações que se impõe a exigência da autoridade do poder politico, democraticamente eleito,bem como o modo adequado do seu exercício ás referidas finalidades da Economia, designadamente a garantia de uma constante situação de pleno emprego e o máximo aproveitamento de todos os recursos naturais nacionais. Para isso, compete ao poder político motivar e apoiar, tanto quanto lhe for possível, o espírito empreendedor, crativo e criador da iniciativa privada existente; mas compete -lhe também, como responsável fundamental pelas finalidades da Economia, ser o agente económico, financeiro e social necessário complementar das limitações da iniciativa privada, intervindo em quaisquer ramos de actividade para esse efeito, incluindo a exclusividade da actividade bancária, como um direito fundamental de soberania e unidade de medida de ajustamento da massa monetária em circulação ao valor real de cada economia nacional, em qualquer momento, em que as mais – valias finaceiras de natureza especulativa, a que não corresponde qualquer tipo de riqueza criada, sendo moeda falsa, não têm cabimento, porque são crime de rapina. A actual grande tragédia humana reside no facto de os conceitos de Economia e de Politico serem subvertos ,legalmente, pela fraude económica e financeira da designada por «economia de mercado»

Comments are closed.