Retrato dos grupos empresariais em Portugal (INE)

A informação não prima pela atualidade (tem quase dois anos) mas é relevante pela singularidade: o INE decidiu destacar um conjunto particular de empresas e analisa-las, o dos grupos de empresas.

Numa altura em que se releva essencialmente a pequena e média empresa pelo seu papel fundamental na criação de emprego, o conhecimento sobre os grupos empresariais não deve ser menosprezado. O INE hoje oferece alguma informação útil sobre esta tipologia de organização empresarial que, representando 1,3% do total de sociedades a operar em Portugal, são responsáveis pela criação de 27,0% do Valor Acrescentado Bruto a preço de mercado (VABpm) gerado em Portugal.

Eis alguns destaques da publicação do INE:

Em 2011, existiam em Portugal 444 grupos de empresas, 62% dos quais eram grupos multinacionais, incluindo entidades participadas estrangeiras no seu perímetro de influência.
Os 444 grupos integravam 7.323 entidades. Destas, 4.798 sociedades faziam parte do universo empresarial nacional. As sociedades integradas em grupos correspondiam apenas a 1,3% do total de sociedades e 13,3% do pessoal ao serviço das sociedades não financeiras. Ainda assim representavam 27% do VABpm e 40,7% do excedente bruto de exploração do total de sociedades. As sociedades pertencentes a grupos de empresas apresentaram em geral níveis superiores aos das restantes sociedades num conjunto de indicadores de desempenho económico-financeiro, sendo de realçar que o VAB por trabalhador (53,5 mil euros) foi, em 2011, mais do dobro que a média apurada para o conjunto das sociedades não financeiras (26,4 mil euros).

Eis dois gráficos do INE que retratam as multinacionais (sob controlo doméstico e estrangeiro) a operar um Portugal em 2011.

Internacionalização

multinacionais

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.

NOS