Um comentário

  1. Um peso do Estado na ordem dos 50% e sem as regalias do modelo Sueco, em que o peso dos impostos e outras receitas é dado, globalmente, por bem empregue numa despesa pública útil. Avultada, é certo!, mas com benefícios do melhor que há no mundo.

    Ter uma despesa de 50% para tapar buracos financeiros, da ganância, mentira e usura de alguns que não se traduzem em benefícios duradoiros para a sociedade, isso sim é dramático e assustador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.