O imposto de selo revisitado

 [wp_ad_camp_1]

O facto de ser um dos impostos mais arcaicos não o inibem de em anos de crise conseguir resistir com distinção ao nível da arrecadação de receitas para o Estado.

Falo do Imposto de Selo, naturalmente. Segundo a síntese de execução orçamental de Janeiro a Outubro deste ano, o Imposto de Selo já vale praticamente o dobro do Imposto Sobre Veículos e aproxima-se a passos largos do ISP.

Olhando para este cenário é bem mais plausível que se suspenda o Imposto Sobre Veículos do que se acabe com o Imposto de Selo.

Afinal o primeiro vai valendo 783 milhões enquanto o segundo está a uns tostões dos 1.500 milhões.

Pode não incidir directamente sobre veículos motorizados (também vai buscar uns tostões aos averbamentos, se não estou em erro), mas o Imposto de Selo ganha com distinção o título de “imposto sobre tudo o que mexe”.

Tagged under:

5 Comentários

  • Manuel GoncResponder

    O saque ao bolso dos portugueses continua e vai continar.
    Alguém tem de pagar o dinheiro que os políticos esbanjam nas suas negociatas e compadrios. Alguém de pagar as generosas e gordas reformas dos políticos incompetemtes que nada mais sabem fazer senão viver á conta do hierário público.
    No privado não sobreviam, a não ser se tivessem influência política como é esse Jorge Coelho.
    Enfim estamos em Portugal e ao longo de séculos pouco mudou na mentalidade dos governantes, sacar o máximo enquanto podem.

  • Pingback:Leituras: « BLASFÉMIAS

  • CarlosResponder

    Os números atingidos pelo Imposto do Selo (e não de Selo- é apenas um preciosismo) justifiacam-se pelo facto do mesmo agregar na realidade dois impotos: o tradicional selo e o ex- imposto sobre as sucessões e doações.

    Este já não é bem o imposto arcaico do regulamento de imposto do Selo, como muitos ainda julgam. É bem mais do que isso!

    O que me deixa preocupado é ver os responsáveis políticos a enganar e sonegar informações importantes, deixarem de lado a pedagogia governativa em função de seus interesses e apaniguados, transformando-os em interesses gerais, à custa do erario público e dos jogos escusos de interesses. A actualidade está repleta de eexemploS!

  • Rui RepolhoResponder

    Exmos Senhores,

    A fim de pagar o Imposto de Selo nos correios, quais são os procedimentos a seguir.
    Nos CTT disseram me que tinha que adquirir um código de barras e com esse código poderiam-me vender o selo, mas não soberam explicar mais.
    Aguardo a vossa ajuda.
    Obrigado,
    Rui Repolho

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.

NOS