Sector da construção ameaça crescer mais de seis anos depois

Desde que o INE publica Índice de Produção na Construção e Obras Públicas que esta série nunca registou um valor positivo, ou seja, desde janeiro de 2010 (pelo menos) que, segundo estes dados, revelam um sector da construção e obras públicas em permanente contração.

Os dados de 2016 permitem contudo uma nota otimista para 2017 já que, segundo a informação mais recente, referente e novembro de 2016 o ano terá terminado a reforçar a tendência de desaceleração das quedas sucessivas de atividade na construção. Em novembro, o índice de produção revela (em médias móveis de três meses e já corrigido de sazonalidade e de dias úteis) uma queda da produção de 2%, a mais pequena desde maio de 2015. Se não se considerar a média dos três meses terminados em novembro mas apenas a variação homóloga de novembro a queda da produção foi ainda menor, apenas 1%.

Para se ter uma noção da evolução histórica deste indicador do INE apresentamos um gráfico com a série completa, sublinhado o porquê de algum otimismo para que 2017 seja o primeiro ano desde, pelo menos, 2010, em que este sector possa começar a registar maior dinamismo e algum crescimento de atividade.

Um maior número de licenças de construção emitidas e uma evolução mais favorável ao nível dos indicadores de confiança acrescem à expectativa de que a situação possa estar, de facto, a melhorar.

Sector da construção ameaça crescer mais de seis anos depois
Sector da construção ameaça crescer mais de seis anos depois

GOSTOU DO QUE LEU?
Então não perca nenhum dos nossos artigos.
Receba um EMAIL diário com os resumos:

.