Clima Económico Melhora em Todos os Setores de Atividade Janeiro 2017

Os primeiros dados sobre a atividade económica em 2017 surgem por via dos indicadores de conjuntura às empresas e aos consumidores. Se entre os consumidores os níveis de confiança estão em máximos de 17 anos, entre as empresas os sinais são igualmente de recuperação da confiança ainda que a um ritmo menos exacerbado.

 

Clima Económico Melhora em Todos os Setores de Atividade

Em janeiro o reforço da confianças dos empresários abrangeu o pleno dos setores de atividade acompanhados pelo INE, ou seja, na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas, na Comércio e nos Serviços.

Como resultado global desta evolução, o indicador de clima voltou a terreno positivo depois de ter derrapado ligeiramente nos dois meses anteriores.

Entre os empresário do setor da Indústria Transformadora, a melhoria do índice de confiança baseou-se numa evolução positiva de todas as variáveis que o compõe: opiniões sobre a procura global; perspetivas de produção e apreciações sobre a evolução dos stocks de produtos acabados. Note-se ainda que esta melhoria de janeiro de 2017 foi transversal a todos os agrupamento da Indústria Transformadora.

Quanto à melhoria do indicador de confiança da Construção e Obras Públicas ficou a dever-se, igualmente, à evolução positiva de todas as suas componentes; perspetivas de emprego e opiniões sobre a carteira de encomendas. Destaque-se ainda que, segundo o INE “o número de meses de produção assegurada aumentou nos dois últimos trimestres, após ter atingindo em julho o valor mínimo da série.

Em relação ao indicador de confiança do Comércio, a melhoria foi ligeira e resultou das melhores expectativas quanto ao volume de vendas cujo crescimento mais do que compensou a degradação do saldo das perspetivas de atividade e das apreciações sobre o volume de stocks. Note-se que a evolução global resultou de um aumento da confiança no comércio por grosso e uma diminuição no comércio da retalho, algo que sucede pelo segundo mês consecutivo.

Finalmente, a melhoria do indicador de confiança dos Serviços centrou-se no maior otimismo quanto às expectativas sobre a evolução da procura e sobre a atividade da empresa. Já quanto às apreciações sobre a carteira de encomendas a evolução foi negativa. Em termso sub-setoriais, eis o que o INE avança sobre os serviços:

“Em janeiro, o indicador de confiança aumentou em quatro das oito secções dos Serviços, destacando-se as secções de “Alojamento restauração e similares” e ”Atividades de informação e de comunicação” com os aumentos mais expressivos. Por sua vez, este indicador registou a diminuição mais significativa na secção de “Atividades imobiliárias”.

No último mês, as secções de ”Transportes e armazenagem” e de “Atividades administrativas e dos serviços de apoio” apresentaram um maior número de variáveis com acréscimos nos respetivos saldos.

As restantes secções apresentaram um maior número de variáveis com decréscimos nos respetivos saldos, destacando-se as secções de ”Atividades de informação e de comunicação”, ”Atividades imobiliárias”, e “Outras atividades de serviços”.”

Pode encontrar mais informação sobre os indicadores de confiança de janeiro de 2017 no sítio do INE.

GOSTOU DO QUE LEU?
Então não perca nenhum dos nossos artigos.
Receba um EMAIL diário com os resumos:

Deixar uma resposta