Turismo acelera em todo o país – outubro 2016

A depois de alguma desaceleração em agosto, a atividade turística acelerou em setembro e voltou a acelerar de forma muito significativa em outubro, registando crescimentos muitos expressivos em todos os principais indicadores. Segundo informa o INE na sua estatística mensal sobre o turismo em Portugal verifica-se que o turismo acelera em todo o país em outubro 2016.

 

Turismo acelera bastante em outubro 2016

Outubro será já um mês de época baixa ou em vias disso mas a verdade é que a comparação entre outubro de 2015 e outubro de 2016 revela um dos crescimentos mais intensos do ano em termos de atividade turística. O INE titula o seu destaque a comunicação social com “Aumentos expressivos nas dormidas e proveitos” e de facto os números revelados são bastante significativos.

Desde logo o ritmo de crescimento de hóspedes e das suas respetivas dormidas regressou a crescimentos de dois dígitos com aumentos de 12,7% e de 12,4% face a igual mês de 2015, respetivamente. Os hotéis receberam 1,8 milhões de hóspedes em outubro de 2016 o que correspondeu a 5 milhões de dormidas.

 

Crescimento do turismo com dois motores

Outro dado significativo é que este crescimento teve dois motores: o mercado interno (+12,5%) e o mercado externo (12,3%), ambos em forte aceleração face a setembro.

Por outro lado, a taxa de ocupação aumentou de 46,7% em outubro de 2015 para 51,0% em outubro de 2016 ajudando a que os proveitos registassem um incremento impressionante de 19,8% (proveitos totais) ou de 21,3% se se considerarem apenas os proveitos com o aposento.

Quanto às origens externas, destacamos um gráfico apresentado pelo INE onde se representa, quer a evolução em outubro, quer o acumulado do ano, para os principais mercados emissores de turistas não residentes.

Turismo acelera em todo o país

 

Aceleração do Crescimento transversal a todo o país

O INE destaca que a atividade turística acelerou em outubro em todas as regiões do país em termos de dormidas: “(…) Todas as regiões apresentaram aumentos expressivos das dormidas, principalmente os Açores (+29,0%), Alentejo (+17,2%) e Algarve (+14,2%), tendo esta última região sido o destino com maior procura (34,3% do total de dormidas). Foi secundada por Lisboa (25,6%), Norte e Madeira (12,8% em ambas).”

Discriminando as dormidas considerando apenas os residentes, verificou-se que Algarve e Madeira se destacaram (+33,1% e 30,0%, respetivamente), merecendo Alentejo (23,6%) e Açores (+23,4%) igualmente destaque muito positivo. Lisboa destaca-se pela negativa pois registou uma queda de dormidas de residentes (-1,7%).

Em termos absolutos (deixando por momentos as taxas de crescimento), o INE destaca que “os principais destinos dos residentes foram o Norte (23,2% das dormidas do mercado interno), Lisboa (22,6%) e Centro (20,0%).”

Quanto aos não residentes o INE avança que: “A evolução das dormidas dos mercados externos foi globalmente positiva nas várias regiões, com maior impacto nos Açores (+33,2%), Norte (+16,4%) e Algarve (+12,3%). Como é habitual, o Algarve foi a primeira escolha dos não residentes (39,4%), secundada por Lisboa (26,5%) e Madeira (14,8%).”

 

Clima pode ter ajudado

Segundo o IPMA citado pelo INE, o mês de outubro foi particularmente seco e quente, tendo a temperatura média do mês de outubro sido a 4º mais alta para esse mesmo mês nos últimos 16 anos. É provável que este clima ameno tenha contribuído também para amplificar o ritmo de crescimento da atividade turística no país

 

 

Novembro promete manter tendência de crescimento

Certamente 2016 será, novamente, ano de recordes históricos no turismo em Portugal.

Recorde-se que em Novembro se realizou a Web Summit que, tendo ocorrido num mês da época baixa poderá contribuir de forma relevante nos dados globais relativos ao país.

 

Deixar uma resposta